terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Dádiva conquistada

No silêncio da noite e no alvoroço do dia estás comigo e de mim nunca te distancias. Ainda que de difícil acesso, cinges-te em mim, enroscas-te em mim e possuis-me de forma desigual. Desejo-te com toda a força da minha natureza e fazes-me derreter com toda a tua energia singular. Em ti me deleito e em ti busco tudo o que sempre sonhei: o teu regresso! Embora saiba quem sejas, desconheço a tua complexidade, a tua essência, a tua forma, os teus trejeitos, tudo o que te faz definir, mas sei que existes e que em mim habitas. Sonho contigo todos dias, dormindo ou acordado, e surges sempre na lembrança do desejo de te ter, para que a vontade de me abandonares nunca seja razão para o fazeres. És dádiva que conquistei com tanto suor e com tanta teimosia porque em nenhum momento quis desistir de ti. Ter-te é um direito que possuo e eu para contigo tenho o dever de te valorizar, agradecendo pelo teu regresso surpreendente, pois jamais prescindirei da tua eterna companhia! Confesso que tive saudades tuas e agora que me cativaste, a dúvida persiste em pairar no ar: vieste para ficar? Não me desiludas, felicidade minha!



4 comentários:

Anónimo disse...

Rodrigo, que esta felicidade te seja eterna! Invejo-te! No bom sentido :)

Mané disse...

Tropecei neste blogue, abri-o e surpreendi-me com a escrita.

Belíssimo trabalho, Rodrigo!

Rodrigo Barbosa disse...

Apesar do desconhecimento, agradeço a passagem pelo meu blogue, Mané.

E ainda por ter gostado do que leu! Folgo em saber tal coisa :)

Miguel Horta disse...

E como é difícil conquistar a felicidade. És um sortudo! Mais um "post" belo... Vidrei-me na tua escrita!

Estás de parabéns :)